Programação

 

14h ★ Concentração com Dj Ledah

Na cena desde 2007, foi hostess dos tradicionais Clube SoGo, Sonique, Hot-Hot, deixou as portas para assumir as pick-ups em festas descoladas na The Week, Clube A Lôca, Bofetada, produziu a pioneira Festa Black Pop, atualmente divide sua agenda entre Yacht Club, Lions, Espaço Desmanche, Blue Space, além das diversas festas do baixo Augusta e casas do interior e litoral; Também é responsável pela curadoria artística e musical do aclamado projeto PopPorn, onde também atua como Dj Residente. Mix Cloud – Dj Ledah
Seus sets sempre com clima sexy e graves fortes, transitam entre os universos do pop, eletro, house, black music, r&b e ritmos nacionais como funk e trash, o rock tbm faz parte de sua sonoridade, sempre respeitando e explorando o conceito e proposta da festa e clube.

15h ★ Natt Maat

Natt Maat é uma mulher preta, transgênero e periférica, moradora do morro da Cachoeira no Guarujá. Rapper, compositora, produtora instrumental e falante das questões de gênero e sociedade. Lançou em 2017 o seu EP; Transtorno disponível em plataformas digitais de música.

15h30 ★ Cerimônia

Cerimônia para lembrar a data do #TDOR, dia de LEMBRANÇA TRANSGÊNERO.
Vamos durante a concentração da 1ª MARCHA DO ORGULHO TRANS DE SÃO PAULO lembrar as pessoas trans que morreram em 2017/2018. O dia internacional da lembrança transgênero (TDOR), que acontece anualmente no dia 20 de novembro, é uma homenagem anual à memória daquelxs cujas suas vidas foram terminadas em atos de violência transfóbica. Um momento de silencio para que juntxs, entrremos em um espaço contemplativo de reflexão.

16h ★ Erick Barbi

A música sempre esteve presente na vida deste cantor, ator e compositor. Como ele mesmo diz: “A arte não tem preconceito, me aceitou desde sempre, do jeito que sou”. Homem Trans, assumiu sua transexualidade aos 20 anos. E teve a sorte e a alegria de ter o apoio de toda a família e amigos. Em 2006 compôs a música “Tudo Que o Mundo Vai Me Dar” que foi tema documentário “Questão de Gênero”, do diretor Rodrigo Najar.
Em 2016, participou da série documental “Liberdade de Gênero” do diretor João Jardim, que foi ao ar no canal GNT, apresentando novamente sua composição.
Hoje, é reconhecido pela comunidade de homens trans, que se identificam com sua história de vida e suas composições trazem temas como a transição, aceitação e auto estima.

16h30 ★ Show MC Dellacroix

Grita a perspectiva de um corpo pretx marginalizado desenvolvendo arte a partir da sua existência travesti. A artista, rapper e performer, trás em seu projeto a essência da musicalidade preta popular no brasil, permeando vertentes do hip hop até o funk brasileiro. Buscando resignificar a sua existência marginal dentro de uma causa política, a artista segue hackeando espaços, se conectando com suas iguais – travestis pretxs e periféricas – afim de registrar suas realidades historicamente apagadas, através da arte.

17h ★ Show Tiely Queen

Desde 1989 envolvido nas artes como um todo. Coordena o projeto HIP HOP MULHER que vem desde 2007 na batalha. Tiely Queen é artista, cineasta, cantor/rapper, escritor, dançarino, batuqueiro. Pluralidade em ação!

17h30 ★ Dj Júlia Rosemberg

Mulher cis, branca, bi, corintiana, pós-balzaquiana e mãe da Antônia. Coordenadora do [SSEX BBOX] Brasil. Formada em psicologia, há quinze anos atua em favor da valorização da diversidade, sustentabilidade, Igualdade Racial e de Gênero no Trabalho.

18h ★ MC Xuxú

“Karol, mais conhecida como MC Xuxú trás em suas composições a luta das travestis e transsexuais. Desde cedo enfrentou problemas com relação à sua identidade de gênero, como tantes outres que tem em sua vida que escolher entre as ruas e a família. A música de protesto tem a influência do funk, rap e outras vertentes, trazendo assim, sucessos que fazem geral enlouquecer nas pistas! Com seu novo trabalho “Senzala”, MC Xuxú traz palavras de ordem pela união dxs LGBTI+, mas principalmente das Travestis e Transsexuais ir à luta por direitos que são negados pelo Estado. Vamos revolucionar com MC Xuxú!”

18h30 ★ Johnny Hooker

Cantor, compositor, ator e roteirista brasileiro. Recentemente nomeado Campeão da Igualdade da Campanha Livres & Iguais no Brasil. Foi vencedor do Prêmio da Música Brasileira como Melhor Cantor na categoria Canção Popular. Suas músicas são conhecidas por dar vida a trilhas sonoras, como “Volta” (trilha do filme Tatuagem), “Amor Marginal” (trilha da novela Babilônia). Seu primeiro disco solo, o aclamado “Eu Vou Fazer uma Macumba pra Te Amarrar, Maldito!” alcançou o 1º lugar na plataforma de streaming Deezer e foi também nº1 no chart MPB do iTunes Brasil.

19h ★ Show Pepita

Priscila Nogueira, mais conhecida como Mulher Pepita ou Pepita, é uma cantora, compositora e dançarina brasileira. Possui notoriedade por ser uma das primeiras funkeiras transexuais do Brasil, e seu trabalho é frequentemente associado ao ativismo LGBT. Em 2017, a artista voltou aos holofotes com o lançamento da canção “Chifrudo”, parceria com a drag queen Lia Clark. Em janeiro, a artista também lançou um novo single, “Uma Vez Piranha”.

19h30 ★ Show Leona Vingativa

Se você já estava navegando pela internet em 2009, certamente conhece a personagem Leona Vingativa, que se tornou famosa por meio de vídeos postados no YouTube. Seu trabalho como cantora  foi sucesso no YouTube e acabou viralizando em 2009. Em 2015, Leona Vingativa lançou um clipe de uma versão da música Get Lucky, do grupo Daft Punk. Com o nome Frescáh No Círio o clipe faz referências ao Círio de Nazaré e aos vídeos anteriores gravados pela personagem. A popstar da internet lançous ano passado o seu novo single; “Não Pode Esquecer O Guanto”.